Vídeo mostra casal suspeito de ter feito pacto de morte chegando sozinho a hotel de luxo em SP

Para polícia, últimas imagens mostram que mais ninguém entrou no quarto onde namorados foram achados mortos. Cartas de despedida reforçam suspeita que rapaz atirou na namorada e depois se suicidou no Maksoud Plaza.

Um vídeo mostra que o casal suspeito de ter feito um pacto de morte chegou sozinho a hotel de luxo na Zona Oeste de São Paulo. Eles foram encontrados mortos em um quarto no domingo (16). O G1 teve acesso às imagens gravadas no sábado (15) pelo Maksoud de Plaza.

As cenas das câmeras de segurança estão sendo analisadas pela Polícia Civil, que trabalha com a hipótese de homicídio seguido de suicídio para explicar o caso. Para a investigação, Luis Fernando Hauy Kafrune, de 19 anos, atirou na namorada Kaena Novaes Maciel, de 18, a pedido dela. Após assassiná-la, ele se matou.

A arma do crime é do padrasto da jovem, um policial civil aposentado. Kaena teria pego a pistola escondida dele, depois a entregou ao namorado. Ela foi encontrada na mão de Luis. Os dois foram achados sem vida sobre a cama do quarto 1509.

Diários, agendas e manuscritos em papel, atribuídos ao casal, reforçam a tese da polícia de que os namorados planejaram se matar. Eles traziam menções ao suicídio, como uma espécie de carta de despedida, e explicariam os motivos que levaram os dois a querem morrer.

Imagens

As imagens do Maksoud Plaza também reforçam a linha de investigação do 5º Distrito Policial (DP), Aclimação, de que não havia outra pessoa além do casal na cena do crime.

“As imagens mostram a chegada deles sozinhos no hotel, no hall, fazendo o checkin e entrando no elevador a caminho do quarto”, disse nesta terça-feira (18) o delegado titular do 5º DP, Gilmar Pasquini Contrera. “Na cena do crime não havia sinais de luta corporal”.

O casal, que havia reatado recentemente, tinha se encontrado no sábado dizendo aos pais que iria a um shopping, mas depois se hospedou no Maksoud Plaza.

Numa foto feita a partir da filmagem é possível ver Luis abraçado a namorada. Os estudantes parecem sorrir quando passam pela porta giratória do hotel, que fica na Alameda Ribeirão Preto, área nobre próxima a Avenida Paulista, no Centro da capital.

Eles entram usando mochilas. Luis carrega papéis e Kaena segura uma coroa de cartolina de uma rede de fast food.

Diário

Nas folhas apreendidas no apartamento do 15º andar do hotel, estavam textos que sugerem o suicídio.

“Sei que estou fazendo todos sofrerem, mas isso é necessário para que eu pare de sofrer, obrigada por tudo que vocês fizeram por mim….”, informa um dos trechos dos manuscritos atribuídos ao casal, segundo consta no boletim de ocorrência do caso.

Também foram encontradas duas folhas de papel com as inscrições “passos” de “como aproveitar a morte”.

O delegado lamentou ter de cobrir um caso no qual os indícios levam a polícia a suspeitar que o casal tenha combinado a própria morte. “Pelo que foi colhido no local, tudo leva a crer que existe esse pacto de morte”, disse Contrera.

Os manuscritos foram encaminhados ao Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD) para confronto de impressões digitais.

g1

18/04/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *